Ir para conteúdo

  • facebook
  • twitter
  • youtube

Informações do Tutorial Visitar tópico de suporte

  • Adicionado em: Jul 17 2013 02:50
  • Exibições: 5377
 


* * * * *
2 Avaliações

Reaprendizados dos Parâmetros da Injeção - Motores Flex

Um ensaio sobre erros "lógicos" do sistema de injeção. Erros que causam defeitos como carros Flex falhado, morrendo, afogando a frio.

Postado por OS - CAR Oficina Renault emJul 17 2013 02:50
info

Os sistemas de injeção vêm se tornando cada vez mais complexos sobretudo no objetivos de se cumprir as normas de despoluição, que ficam cada vez mais severas com o passar do tempo. Por outro lado, essa complexidade tem colocado muitos reparadores em situações delicadas, pois o diagnóstico da causa raiz da falha fica cada vez mais difícil e o cliente é quem sofre com isso, acabando por gastar altas quantias de dinheiro, trocando peças sem sucesso.

 

Estive vendo no Fórum bastante gente reclamando de carros Flex falhado, morrendo, afogando a frio. E em consequência partem direto para troca de peças exaustivas, sem sucesso.

 

Muito provavelmente a causa do problema não está em peças defeituosas, mas sim em erro "lógicos" do sistema de injeção.

 

Estes compreendem basicamente: 


    [*]Valores dos adaptativos de mistura;
    [*]Aprendizados de batentes de borboleta, coroa dentada e reconhecimento do cilindro 1, e sobretudo, da taxa de álcool estimada no tanque.
    [/list]

     

    Cada um desses aprendizados (e auto-testes do sistema OBD) tem sua condição específica para se realizar. Essas condições envolvem deixar o veículo em condição tal de uso/funcionamento/rodagem onde os valores de sensores e atuadores necessários para cada aprendizado estejam reunidas simultanemante e num lapso de tempo pré-definido pelo sistema.

     

    Um exemplo: aprendizado dos batentes da borboleta motorizada => ligar ignição, aguardar de 5 a 10 segundos (dependendo da injeção) e em seguida desligar a injeção e aguardar o fim do power lach (de 5 a 30s dependendo da versão da injeção).

     

    Claro que os procedimentos e formas de colocar o sistema em modo aprendizado desses parâmetros são peculiares e muitas vezes mudam para cada tipo de injeção, em função da versão do programa e da versão Diag. Portanto seria difícil eu postar aqui os procedimentos exatos para cada uma delas.

     

    Outra coisa é que se conhecendo a fundo o programa de injeção em questão, possuindo o aparelho adequado e aplicando o método correto de reparação, tudo fica bem mais fácil.

     

    Outra coisa: o aprendizado de combustível é "lógico". Não há "sensor" ou "laboratório" dentro do tanque para "ver/cheirar/analisar" que combustível tem lá. Essa lógica se faz fundamentalmente pelo retorno de torque teórico do motor, cruzando esta com outras informações do sistema, que nem vou tentar descrever aqui, pois é bem complexo e extenso. O sistema acorda e se prepara para um novo aprendizado a cada partida, mas só começará o aprendizado se todas as condições favoráveis estiverem reunidas, e claro levará um lapso de tempo pré-determinado no sistema.

     

    Em função disso, estou postando um procedimento geral para reaprendizados que cobre a maioria das condições que devem ser reunidas para que cada aprendizado "starte". 

     

    ​A primeira condição favorável e imprescindível é que o sistema primeiramente não ter nenhuma avaria presente ou memorizada (o scanner comum apaga pelo menos as OBD). Outra coisa é que caso se deseje partir do "zero" todos os aprendizados, então uma reinicialização total dos parâmetros deve ser efetuada.

     

    Lembrete:

    O Scanner EOBD comum só apaga memória de avarias (endereço hexadecimal = 14FF) e só enxerga pannes OBD. Mas não reinicializa parâmetros.

     

    No nosso carro Renault, o scanner Clip da Renault além de apagar avarias, também reinicializa os parâmetros (Inicialização dos parâmetros = 14FF00). Aí depois estes valores deverão ser "reaprendidos" pelo sistema. Neste scanner inclusive dá p/ ver o estados dos aprendizados, dos adaptativos de mistura, da taxa de álcool que estimada e a cartografia que está usando obviamente.

     

    Desligar bateria não resolve, pois a maioria destes aprendizados são "fixados" no programa e não numa memória volátil. Senão, toda vez que ficasse sem bateria, você tivesse que "reinstalar" o sistema (pensem num computador com windows)....

     

     

    Mas já que você a maioria não tem esse equipamento, então tentem fazer o seguinte:

    1. A princípio, para o que o sistema entre em modo reaprendizado do combustível, primeiramente não ter nenhuma avaria presente ou memorizada ( o scanner do seu mecânico já deve ter apagado pelo menos as OBD). Faça primeiramente o reconhecimento dos batentes da borboleta, efetuando o procedimento que eu descrevi anteriormente lá no exemplo.

     

    2. Todos os aprendizados de borboleta, coroa dentada, adaptativos de mistura e reconhecimento do 1º cilindro devem estar EFETUADOS. Para não ter dúvidas nisso, tem que => primeiramente aquecer o motor acima de 75ºC (pois abaixo dessa temperatura ele não vai estar em condição de aprender certos parâmetros). Depois sair e acelerar em segunda marcha até entre 3100 a 3400RPM, tirar o pé do acelerador (não pise no freio ou embreagem senão o reconhecimento falha) até o giro cair para 1500RPM. Em seguida reacelere até entre 2200 a 2400RPM e tira o pé do acelerador e deixe o carro reduzir novamente até 1500RPM novamente.

     

    Aí os aprendizados iniciais estão efetuados. pena que você não terá scanner Clip para ver isso acontecer. Depois é partir para o reconhecimento de combustível. Deslique o carro, aguarde 30 segundos, dê partida novamente e siga as etapas seguintes.

     

    3. Deixar o motor na marcha lenta por 15 minutos;

     

    4. Desligar o motor e aguardar uns 30 segundos;

     

    5. Ligar a chave e esperar 5 segundos depois dar partida;

     

    6. Ir imediatamente em uma rua com um subidinha bem levinha, de uns 5º. Engatar 1ª marcha e tirar o pé da embreagem sem acelerar até o carro se mover por si só. Aí é só deixar ele andando assim, bem devagar, por 180 segundos sem tocar no acelerador. Esse tempo não precisar ser consecutivo.

     

    Se acabar a rua ou a subida e/ou o carro embalar demais, só repetir esta rodagem algumas vezes até que o tempo ultrapasse os 180 segundos. Aí ele aprenderá a proporção estimada do combustível que está no tanque.

     

     

    Finalizando:

     

    Se ficar bom, eram os aprendizados que estavam errados.

     

    Depois tome cuidado. Se o carro apresentar de novo falhas depois que você faça abastecimentos de combustível, desconfie da qualidade da gasolina do posto que você abastece.e ficar bom e mesmo assim, com o mesmo combustível, dias depois o carro "desaprender", aí sim deve haver algo físico com problemas no sistema/motor, etc que estão influenciando sobretudo na geração do torque do motor (até correia dentada fora de fase faz isso ocorrer).

     

    Espero ter ajudado, ou pelo menos elucidado um pouco essa questão dos sistemas de injeção!!

  • Anri, alexweiss, rodrigoecandida e 6 outros curtiram isso